Simulados de Concursos > Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados

Instruções


OBJETIVOS
Aprimorar os conhecimentos adquiridos durante os seus estudos, de forma a avaliar a sua aprendizagem, utilizando para isso as metodologias e critérios idênticos aos maiores e melhores concursos públicos do país.

PÚBLICO ALVO
Candidatos e/ou concursandos, que almejam aprovação no concurso da CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (CEF) - Técnico Bancário, para nível médio.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS QUESTÕES
1. Português
2. Matemática
3. Ética Pública
4. Habilidades no Atendimento
5. História e Estatudo da Caixa
6. Legislação Específica - Caixa
7. Conhecimentos Bancários
8. Informática
2.344 alunos já responderam este simulado.

Texto 1: Utilize o texto abaixo para responder as questões de numero 1 a 3.

A “CRISE” DOS VALORES MORAIS.
 Fala-se hoje, em toda parte e no Brasil, numa “crise” dos valores morais. O sentimento dessa crise expressa-se na linguagem cotidiana, quando se lamenta o desaparecimento do dever-ser, do decoro e da compostura nos comportamentos dos indivíduos e na vida política, ao mesmo tempo em que os que assim julgam manifestam sua própria desorientação em face de normas e regras de conduta cujo sentido parece ter-se tornado opaco. Uma autora sueca, Sissela Bok, decidiu escrever um livro sobre a mentira, após ter verificado que, desde o século XVII, excetuando-se alguns momentos da literatura, do teatro e do cinema, reina o silêncio  quanto aos dilemas do dizer-a-verdade na vida privada e na vida pública. Sociólogos de linha durkheimiana, examinando o desamparo dos indivíduos nas escolhas morais, a presença de práticas e comportamentos violentos na sociedade e na política, a multiplicidade de atitudes transgressoras de valores e normas, falam em anomia, isto é, na desaparição do cimento afetivo que garante a interiorização do respeito às leis e às regras de uma comunidade.
         Na filosofia contemporânea a “crise” transparece na existência simultânea de três linhas principais de pensamento sobre a ética, resumidas por Agnes Heller: a niilista (baseada no relativismo historicista e na etnografia), que nega a existência de valores morais dotados de racionalidade e de universalidade; a universalista-racionalista (de origem iluminista), que afirma a existência de uma normatividade moral com valor universal porque   fundada na razão; e a pragmática, que considera que a democracia   liberal tem sido capaz de manter com suficiente sucesso os princípios morais da liberdade e da justiça no que tange às grandes   decisões sobre  a vida coletiva. Em nosso cotidiano, lembra A. Heller, somos bombardeados pelos três pontos de vista, ainda que se excluam reciprocamente, e sua presença simultânea constitui o sintoma do que chamamos de “crise”  dos valores morais.
 Alguns procuram nomear a “crise” dando-lhe o nome de pós-modernidade. A modernidade, nascida com a Ilustração, teria privilegiado o universal e a racionalidade; teria sido positivista e     tecnocêntrica, acreditado no progresso linear da civilização, na continuidade temporal da história, em verdades absolutas, no planejamento racional e duradouro da ordem social e política; e teria apostado na padronização dos conhecimentos e da produção econômica como sinais da universalidade. Em contrapartida, o pós-modernismo privilegiaria a heterogeneidade e a diferença como forças libertadoras da cultura; teria afirmado o pluralismo contra o   fetichismo da totalidade e enfatizado a fragmentação, a  indeterminação, a descontinuidade e a alteridade, recusando tanto as “metanarrativas”, isto é, filosofias e ciências com pretensão de  oferecer uma interpretação totalizante do real, quanto os mitos totalizadores, como o mito futurista da máquina, o mito comunista   do proletariado e o mito iluminista da ética racional e universal.
  Se a modernidade havia se caracterizado pela confiança iluminista na razão como força que libera o homem do medo causado pela ignorância e pela superstição, a pós-modernidade proclama a falência da razão para cumprir a promessa emancipatória e exibe sua força opressora sobre a natureza e sobre   os homens (...).

(1,0) 1 -

Lido o texto 1 na totalidade, é correto afirmar que Marilena Chauí:

a)

se refere à 'crise' como um fator positivo na história das sociedades, uma vez que impulsiona o progresso;

b)

exalta os sintomas da pós-modernidade, já que a racionalidade da Ilustração sufoca o homem e inibe sua criatividade;

c)

expõe o tema de forma neutra e refletida, e em nenhum momento toma partido no confronto entre modernidade e pós-modernidade;

d)

conclui que, com o fracasso do ideal iluminista de libertar o homem pela razão, a pós-modernidade passa a oprimi-lo;

e)

adota como princípio explicativo para a crise dos valores morais a linha niilista, segundo a classificação proposta por Agnes Heller.

(1,0) 2 -

As palavras ou expressões de cada um dos pares abaixo têm significados opostos na opção:

a)

padronização – heterogeneidade;

b)

racionalidade – Ilustração;

c)

pluralismo – fragmentação;

d)

progresso – continuidade;

e)

libertadoras – emancipatória.

(1,0) 3 -

Na passagem '...somos bombardeados pelos três pontos de vista, ainda que se excluam reciprocamente...', a relação semântica expressa pela locução sublinhada será alterada se ela for substituída por:

a)

contanto que;

b)

não obstante;

c)

se bem que;

d)

posto que;

e)

conquanto.

(1,0) 4 -

A alternativa em que o deslocamento do pronome oblíquo átono foi efetuado de acordo com as normas do padrão culto escrito do português é:

a) crise se expressa;
b) quando lamenta-se;
c) ter tornado-se;
d) se excetuando;
e) Se fala hoje.
(1,0) 5 -

Considere as frases abaixo.

I. ...... quem não o podia pegar o grito foi lançado.

II. Aludiam ...... uma imensa tela dourada os fios de sol que se cruzavam.

III. O resultado de seu trabalho foi comparado ...... luz da manhã.

Preenchem corretamente as lacunas, respectivamente:

a)

A - a - à

b)

A - a - a

c)

À - à - a

d)

A - à - à

e)

À - a - à

(1,0) 6 -

Hora e tanto já, e nada de peixe. Mas o gostoso era ficar assim na canoa, pensando na vida, imaginando coisas. Passada aquela eleição, ia sossegar. A política matava, acabava com a pessoa. Depois que se metera nela, nunca mais pudera ter uma semana de descanso. Escravo dos outros, do partido, do eleitorado. E os adversários não dormiam, os concorrentes vigiavam. Todos os dias, uma notícia má, nomeações que não saíam, chefes do interior que ameaçavam romper por causa de pedidos impossíveis... E ter de mentir, de prometer... - Doutor, doutor... agora é a peixa... é a peixa, sim... engasgava o Gerôncio. Ferra, doutor, ferra! (Mário Palmério: 'Vila dos Confins', 2003) Na fala de Gerôncio se encontra a palavra 'peixa', uma forma popular de flexão de gênero. Regularmente, essa flexão ocorre nas seguintes palavras:

a) gazela, janela e penta.
b) gazela, janela e penta.
c) bailarina, elefanta e tonta.
d) monstra, poeta e tamanduá.
e) boneca, mesa e onça.
(1,0) 7 -

A frase corretamente pontuada é:

a) Não se pode ignorar a evolução tecnológica, porém é importante perceber que a qualidade de vida do ser humano depende da existência de condições ambientais favoráveis.
b) Não se pode ignorar, a evolução tecnológica porém é importante, perceber que a qualidade de vida do ser humano depende da existência de condições ambientais favoráveis.
c) Não se pode, ignorar a evolução tecnológica porém, é importante perceber que a qualidade de vida do ser humano depende da existência de condições ambientais favoráveis.
d) Não se pode ignorar a evolução tecnológica porém é importante perceber, que a qualidade de vida do ser humano depende da existência, de condições ambientais favoráveis.
e) Não se pode ignorar a evolução tecnológica porém é importante perceber que, a qualidade de vida do ser humano depende, da existência de condições ambientais, favoráveis.
(1,0) 8 -

Foram enviadas quatro cartas para endereços diferentes, e, na hora de colocar cada uma no respectivo envelope, trocaram-se inadvertidamente as cartas. Qual a probabilidade de que nenhuma carta tenha afinal sido enviada para o endereço certo?

a)

3/8

b)

1/4

c)

31/12

d)

7/24

e)

5/12

(1,0) 9 -

Na compra de um Bem cujo valor à vista é de R$ 140,00, deve-se pagar uma entrada mais duas prestações de R$ 80,00 no fim dos próximos 2 meses. Considerando uma taxa de juros de 20% am, qual o valor da entrada?

a) 15,78
b) 16,78
c) 17,78
d) 18,78
e) 19,78
(1,0) 10 -

Um capital de R$ 50.000,00 rendeu R$ 1.000,00 em um determinado prazo. Se o prazo fosse dois meses maior, o rendimento aumentaria em R$ 2.060,40. Calcular a taxa de juros efetiva ao mês ganha pela aplicação.

a) 2% am
b) 2,5% am
c) 3% am
d) 3,5% am
e) Nenhuma das alternativas

« anterior 1 2 3 4 5 6 próxima »

Marcadores

Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados - Marcador Verde Favorita
Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados - Marcador Azul Dúvida
Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados - Marcador Amarelo Acompanhar
Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados - Marcador Vermelho Polêmica
Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados - Marcador Laranja  Prova da CAIXA (CEF) 2 - Questões e Simulados - Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
495.050 Alunos | 3.942 Simulados | 44.532 Questões | 12.813 Comentários

Copyright © Simulado Brasil Concurso - 2011 - 2018 - Todos os direitos reservados.

⇑ topo