Prova de Economia 1 - Questões e Simulados

Instruções


OBJETIVOS
Aprimorar os conhecimentos adquiridos durante os seus estudos, de forma a avaliar a sua aprendizagem, utilizando para isso as metodologias e critérios idênticos aos maiores e melhores concursos públicos do país.

PÚBLICO ALVO
Candidatos e/ou concursandos, que almejam aprovação em concursos públicos de nível médio ou superior.

SOBRE AS QUESTÕES
Este simulado contém questões da Banca CESGRANRIO, tanto para nível médio como superior da matéria Economia. Auxiliando em sua aprovação no concurso público escolhido.

*CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DAS QUESTÕES
1. \A Regra De Ouro\.
2. A Crise Internacional E Os Impactos Na Economia Brasileira.
3. A Curva De Phillips.
4. A Demanda Por Moeda E O Equilíbrio No Mercado Monetário.
5. A Economia Intertemporal.
6. A Função Demanda Agregada.
7. A Lei De Responsabilidade Fiscal (Lrf).
8. A Racionalidade Econômica Do Governo.
9. A Redução Recente Da Desigualdade De Renda.
10. A Restrição Orçamentária Intertemporal Das Famílias.
11. A Restrição Orçamentária Intertemporal De Uma Nação E O Endividamento Externo.
12. A Restrição Orçamentária Intertemporal Do Governo E A Equivalência Ricardiana.
13. A Rigidez Dos Reajustes De Preços E Salários.
14. A Teoria Da Inflação Inercial E A Análise Da Experiência Brasileira Recente No Combate À Inflação.
15. Agregados Macroeconômicos.
16. Alternativas De Financiamento Do Déficit Público.
17. Análise De Determinação Da Renda, A Relação Entre Os Grandes Agregados E Os Ciclos Econômicos, Segundo As Concepções Clássicas (Neoclássicas), Keynesiana, Monetarista, Pós-Keynesiana, Novoclássica E Novo Keynesiana. Modelos Is-Lm.
18. Análise De Investimentos.
19. Análise De Política Monetária E Fiscal Em Economias Fechadas E Abertas Sob Diferentes Regimes Cambiais.
20. Análise De Projetos Estruturados (Project Finance): Análise De Viabilidade Do Projeto, Arranjos De Garantia E Plano De Financiamento.
21. As Contas Do Sistema Financeiro E O Multiplicador Bancário.
22. As Funções Consumo E Poupança.
23. As Funções De Oferta Agregada De Curto E Longo Prazo.
24. Aumentos Temporários E Permanentes Nos Gastos Públicos.
25. Avaliação De Projetos De Investimento.
26. Avaliação Econômica De Projetos.
27. Balanço De Pagamentos.
28. Balanço Patrimonial.
29. Bens Públicos E Externalidades.
30. Blocos Econômicos.
31. Cepal.
32. Choques De Oferta.
33. Classificação De Bens: Público, Semi-público E Privado.
34. Comércio Internacional.
35. Conceitos Básicos De Análise De Balanços E Demonstrações Financeiras.
36. Conceitos De Oferta E Demanda Monetária.
37. Conceitos Macroeconômicos Básicos.
38. Concorrência Monopolística.
39. Contabilidade.
40. Contabilidade Social.
41. Contas Nacionais No Brasil.
42. Crescimento De Longo Prazo: O Modelo De Solow.
43. Crescimento Econômico: Modelos De Crescimento Exógeno E Endógeno.
44. Crises Cambiais.
45. Curva De Demanda.
46. Curva De Indiferença.
47. Curva De Phillips.
48. Custo Fixo De Produção.
49. Custos De Intervenção Do Governo.
50. Déficit.
51. Desenvolvimento Sócio Econômico.
52. Determinação Da Renda De Equilíbrio.
53. Determinação Do Nível De Preços.
54. Determinantes Do Consumo E Do Investimento.
55. Dinâmica Econômica.
56. Econometria.
57. Economia Agrícola.
58. Economia Brasileira.
59. Economia Brasileira No Pós-Plano Real: Concepções, Principais Problemas, Conquistas E Desafios.
60. Economia Internacional.
61. Economia Monetária.
62. Efeitos Da Política Monetária E Fiscal No Curto E Longo Prazo.
63. Eficiência De Mercado.
64. Elasticidade Da Demanda.
65. Equilíbrio De Mercado.
66. Equilíbrio De Nash.
67. Estatística.
68. Estrutura Do Balanço De Pagamentos.
69. Estruturas De Mercado.
70. Evolução Da Economia Brasileira E Da Política Econômica A Partir Do Plano De Metas (1956) Até O Fim Da Década De 80.
71. Expectativas No Modelo Is/Lm.
72. Externalidades.
73. Finanças Públicas.
74. Formas De Mensuração Do Produto E Da Renda Nacional.
75. Função Produção.
76. Funções Da Moeda.
77. Funções Do Banco Central Do Brasil.
78. Funções.
79. Fundo Monetário Internacional ? FMI.
80. Globalização, Blocos Econômicos Regionais E Acordos Multilateral E Bilateral De Comércio Exterior.
81. Hipóteses Básicas Da Macroeconomia Keynesiana.
82. Identidades Macroeconômicas Fundamentais.
83. Ii Plano Nacional De Desenvolvimento.
84. Imposto Inflacionário, Seignorage E Curva De Laffer.
85. Impostos.
86. Impostos, Tarifas, Subsídios, Eficiência Econômica E Distribuição Da Renda.
87. Índices De Preço.
88. Inflação.
89. Inflação E Déficit Público.
90. Inflação E Emprego.
91. Instrumentos De Política Monetária.
92. Introdução À Macroeconomia.
93. Introdução Às Teorias Da Inflação.
94. Lrf - Lei De Responsabilidade Fiscal.
95. Macroeconomia.
96. Macroeconomia Aberta.
97. Macroeconomia Keynesiana.
98. Marco Regulatório A Partir Da Década De 90.
99. Matemática.
100. Matemática Financeira.
101. Mercado De Capitais.
102. Microeconomia.
103. Modelo De Oferta E Demanda Agregada, Inflação E Desemprego.
104. Modelo Is-Lm/Bp.
105. Modelo Keynesiano.
106. Modelo Macroeconômico Clássico.
107. Modelos De Crescimento Econômico.
108. Modelos De Crescimento Endógeno Da Economia.
109. Monopólio.
110. Noções Sobre O Balanço De Pagamentos.
111. Novo Acordo De Basiléia (Basiléia Ii).
112. Números Índices.
113. O Ajuste De 1999: A Mudança Do Sistema Cambial, A Introdução Do Sistema De Metas Inflacionárias E As Metas Fiscais.
114. O Cálculo Do Déficit Público: As Necessidades De Financiamento Do Setor Público (Nfsp) Nos Conceitos Nominal, Operacional E Resultado Primário.
115. O Consumo E O Investimento Num Modelo De Escolha Intertemporal.
116. O Desempenho Da Economia Brasileira E Da Política Econômica No Período Recente.
117. O Equilíbrio No Mercado De Bens.
118. O Equilíbrio No Modelo Is/Lm.
119. O Modelo Is-Lm.
120. O Multiplicador Keynesiano.
121. O Papel Da Poupança, Do Crescimento Populacional E Das Inovações Tecnológicas Sobre O Crescimento.
122. O Produto Nominal X O Produto Real.
123. O Sistema De Contas Nacionais.
124. Oferta E Demanda.
125. Organismos Internacionais: Fmi, Bird, Bid, Omc, Ompi.
126. Os Determinantes Do Investimento.
127. Plano Real De Estabilização Da Economia Brasileira.
128. Política Cambial.
129. Política Cambial No Plano Real.
130. Política Fiscal E Monetária: Instrumentos, Interação E Efeitos Sobre A Demanda E O Produto.
131. Política Monetária E Fiscal Numa Economia Aberta.
132. Política Monetária Expansionista.
133. Políticas Econômicas No Modelo Is/Lm.
134. Precificação E Avaliação De Ativos Financeiros, Modelo Capm E Wacc, Modelagem De Estrutura A Termo De Taxa De Juros, \Duration\, Noções De Administração De Risco De Mercado (Var) E De Derivativos.
135. Princípios Gerais De Tributação.
136. Produto Interno Bruto.
137. Programa De Aceleração Do Crescimento (Pac).
138. Quotas E Preços Máximos E Mínimos.
139. Reformas Estruturais Da Década De 1990.
140. Regimes Cambiais.
141. Regras, Discrição E Consistência Temporal Da Política Econômica.
142. Regulação De Mercados.
143. Relação Entre Déficit Público, Poupança Interna E Resultado Das Contas Do Setor Externo.
144. Séries Temporais.
145. Sistema De Contas Nacionais.
146. Sistema De Pagamentos Brasileiro ? SPB.
147. Sistema Financeiro Nacional.
148. Sistemas De Contas Nacionais.
149. Taxa Interna De Retorno ? TIR.
150. Taxas Cambiais.
151. Taxas De Juros.
152. Tendências Gerais Da Evolução Do Gasto Público No Mundo.
153. Teoria Da Agência.
154. Teoria Da Escolha Pública (Public Choice).
155. Teoria Da Produção.
156. Teoria Da Utilidade.
157. Teoria Do Comércio Internacional: Vantagens Comparativas, Modelos E Teoremas De Comércio Internacional.
158. Teoria Do Consumidor.
159. Teoria Econômica.
160. Teorias Da Inflação.
161. Teorias Do Bem Estar.
162. Títulos Públicos, Déficit E Dívida Pública.
163. Valuation.
* Nem todos os assuntos serão abordados neste simulado.

15 questões

0 horas e 45 minutos

99 concurseiros já realizaram este simulado.
(1,0) 1 -

O Plano Trienal, elaborado por Celso Furtado e sua equipe para o governo de João Goulart, tinha vários objetivos específicos, dentre os quais NÃO se encontra o de

a) realizar a reforma agrária com finalidade social e de expansão do mercado interno.
b) garantir o crescimento real dos salários a uma taxa anual 3% superior ao aumento da produtividade.
c) garantir uma taxa de crescimento do PIB de 7% a.a.
d) resolver a situação do balanço de pagamentos renegociando a dívida externa.
e) reduzir a inflação para 10% a.a. até 1965.
(1,0) 2 -

Entre 1956 e 1960 (correspondendo ao governo JK), houve, no Brasil, um(a)

a) umento da participação do setor agropecuário no PIB do País.
b) aumento do valor em dólar das exportações.
c) aceleração da inflação.
d) redução da taxa de crescimento do PIB.
e) redução do deficit orçamentário do governo federal.
(1,0) 3 -

Quando um determinado imposto é criticado por ser regressivo, o princípio tributário no qual a crítica se baseia é o princípio da(o)

a) capacidade econômica do contribuinte.
b) eficiência econômica.
c) neutralidade alocativa.
d) facilidade administrativa.
e) benefício ao contribuinte.
(1,0) 4 -

benefício ao contribuinte.

a) setor privado da economia não tem a exclusividade de produção desses bens.
b) custo marginal de provê-los, para um consumidor a mais, é nulo.
c) ustos de excluir uma pessoa do consumo desses bens são muito altos, proibitivos.
d) custos fixos de produção são elevados.
e) bens públicos são produzidos por muitas empresas competitivas.
(1,0) 5 -

O Banco Mundial (BIRD) é uma entidade internacional que

a) empresta recursos exclusivamente para o setor público dos países mais pobres.
b) recebe depósitos dos bancos centrais dos países membros.
c) foi concebida inicialmente para financiar a reconstrução das economias europeias afetadas pela guerra.
d) atua como banco central mundial formulando a política monetária global.
e) financiada exclusivamente pela dotação orçamentária dos países membros.
(1,0) 6 -

Duas economias são precisamente iguais, em termos de dotação de fatores, tecnologia usada, estrutura da demanda interna, de impostos e gastos públicos (e, portanto, idênticas em preços e custos). A abertura comercial entre as duas e o consequente aumento do mercado disponível para as empresas, em ambas,

a) vai levar ao comércio internacional se houver rendimentos crescentes de escala em pelo menos um setor produtivo.
b) vai levar ao comércio internacional apenas se houver rendimentos crescentes de escala em todos os setores produtivos.
c) não vai levar ao comércio internacional, pois não há possibilidades de ganhos.
d) aumentará a competição entre as empresas e reduzirá seus lucros.
e) reduzirá os salários reais, pela maior oferta de mão de obra.
(1,0) 7 -

Os Estados Unidos são um país com relativa abundância do fator de produção capital. Assim, segundo o Modelo Heckscher-Ohlin de comércio internacional, o seu setor exportador deveria usar maior intensidade de capital, em relação ao fator trabalho, do que o setor da economia americana que compete com as importações do país. Empiricamente, entretanto, verificou-se o contrário. Este fato é chamado

a) efeito preço cruzado.
b) distorção das relações de troca.
c) Paradoxo de Giffen.
d) Paradoxo de Leontief.
e) Reversão de Bhagwati.
(1,0) 8 -

O Modelo Básico de Crescimento de Solow considera o papel da taxa de poupança na formação de capital físico e o aumento da mão de obra efetiva, dado exogenamente, para explicar o crescimento da economia. Os modelos de crescimento endógeno consideram o(a)

a) papel da poupança na acumulação de capital físico como irrelevante.
b) aumento populacional como um entrave ao crescimento, por expandir o consumo.
c) volume de poupança externa entrando no país como o promotor fundamental de seu crescimento.
d) explicação do processo de acumulação de capital humano e de conhecimento como parte do modelo.
e) insuficiência da demanda agregada como o principal obstáculo ao crescimento sustentado da economia.
(1,0) 9 -

Para a orientação da política monetária de um país, o uso de metas de expansão monetária, expressas em % a.a.,

a) enfrenta a dificuldade de definição e escolha do agregado monetário relevante.
b) uma indicação de economistas da escola Keynesiana.
c) deve ser complementado com um regime cambial fixo entre os países que adotam estas metas.
d) leva a taxas de juros reais negativas.
e) seria possível somente se o orçamento do governo estivesse equilibrado.
(1,0) 10 -

Numa situação de mobilidade imperfeita do capital financeiro internacional, a combinação das políticas monetária restritiva e fiscal expansiva, em certo país com regime de câmbio fixo, ocasionaria, necessariamente, um(a)

a) umento da taxa de desemprego.
b) redução da taxa de inflação.
c) queda no produto da economia.
d) perda de reservas em divisas internacionais.
e) subida da taxa de juros.
(1,0) 11 -

Alguns analistas afirmam que na crise econômica recente ocorreu uma situação de armadilha da liquidez. Num gráfico do modelo IS/LM que representasse a renda na abscissa e a taxa de juros na ordenada, essa situação ocorreria se a curva

a) LM fosse horizontal.
b) LM fosse vertical.
c) LM fosse negativamente inclinada.
d) IS fosse vertical.
e) IS fosse negativamente inclinada.
(1,0) 12 -

Uma empresa pode obter vantagem competitiva se for a líder das transformações tecnológicas no seu setor. No entanto, a vantagem de liderar pode ser diminuída, ou mesmo revertida, se o(a)

a) custo de imitação pelos concorrentes for elevado.
b) custo, para os clientes, de mudar para uma eventual tecnologia concorrente for elevado.
c) treinamento dos clientes compradores, no uso do novo produto, for fácil, de baixo custo.
d) obtenção dos novos insumos necessários, devido à transformação tecnológica, não apresentar dificuldades.
e) obtenção de aprovações regulatórias para seus novos produtos e/ou processos for difícil e demorada.
(1,0) 13 -

Uma empresa tem um custo total, expresso em unidades monetárias, dado por CT = 10+q+0.1q², onde CT é o custo total e q é o volume de produção. Logo, conclui-se que

a) os preços dos insumos diminuem quando a produção aumenta.
b) não há custo fixo de produção.
c) o custo total médio é 3 quando q = 10.
d) o custo marginal é 2 quando q = 10.
e) o custo total médio mínimo é 2.
(1,0) 14 -

A função utilidade de uma pessoa, com renda de 100 unidades monetárias mensais, é dada pela expressão U = XY, onde U é a sua utilidade, X e Y são as quantidades dos dois bens consumidos. Os preços por unidade de X e de Y são iguais, e o consumidor maximiza sua utilidade sujeito à restrição de renda. Nesse caso, para essa pessoa,

a) X e Y são bens inferiores.
b) os gastos com X são o dobro dos gastos com Y.
c) os gastos com X são de 60 unidades monetárias/mês.
d) as curvas de indiferença entre X e Y são retilíneas.
e) a elasticidade renda da demanda por X é igual a 1.
(1,0) 15 -

Uma opção de compra de um determinado ativo A, adquirida no mercado por R$ 10,00, dá a seu titular o direito de comprar uma unidade de A por R$ 100,00 até 15/07/2010. A esse respeito, é possível afirmar que

a) se trata de uma opção de compra do tipo europeu.
b) o preço de exercício dessa opção de compra é de R$ 10,00.
c) o valor do prêmio dessa opção, no mercado, aumenta se o preço de A aumentar.
d) o prêmio da opção de venda de A, no mercado, com os mesmos preço e data de exercício, é maior que R$ 10,00.
e) a volatilidade do preço de A, no mercado, é elevada.

Marcadores

Prova de Economia 1 - Questões e Simulados - Marcador Verde Favorita
Prova de Economia 1 - Questões e Simulados - Marcador Azul Dúvida
Prova de Economia 1 - Questões e Simulados - Marcador Amarelo Acompanhar
Prova de Economia 1 - Questões e Simulados - Marcador Vermelho Polêmica
Prova de Economia 1 - Questões e Simulados - Marcador Laranja  Prova de Economia 1 - Questões e Simulados - Adicionar

Meus Marcadores

Fechar
220.723 Concurseiros | 3.033 Simulados | 36.158 Questões | 9.777 Comentários

Copyright © Simulado Brasil Concurso - 2011 - 2014 - Todos os direitos reservados.

⇑ topo